ESTA É A RAZÃO PELA QUAL ATRAÍMOS ALGUÉM PARA A NOSSA VIDA

ESTA É A RAZÃO PELA QUAL ATRAÍMOS ALGUÉM PARA A NOSSA VIDA

Sabias que as árvores genealógicas espelham? Pois é, não atraímos ninguém por acaso.

A pessoa que atraímos num relacionamento tem certamente algo para o qual temos que olhar na nossa própria árvores e vice versa. Parece estranho, mas não é. Basta realmente querer explorar um pouco mais a própria história familiar de um e outro para se compreender isso!⠀

Vou dar um exemplo para ser mais fácil…⠀

Vamos imaginar que a certa pessoa atrai determinado companheiro/a que tem tendência para determinado tipo de vício, seja álcool, drogas ou até mesmo trabalho (sim, pode ser um vício)… E é aqui que se pode perguntar “para quê?” ou seja “para quê eu atraio um relacionamento deste tipo?”⠀

Com certeza haverá algo na árvore genealógica da própria pessoa para a qual ela deve olhar, pois é bem provável que este comportamento esteja aqui apresentado e a pessoa que atraímos vem refleti-lo! Às vezes situações do passado não foram valorizadas, ficaram em segredo, nada foi feito, então tendem a repetir-se – mesmo nos relacionamentos -, para que isso possa finalmente ser reconhecido e ressignificado.⠀

Alguma vez te questionaste porque atraíste determinada pessoa?
E se te dispuseres a ir um pouco mais longe, procura perceber o que espelha na tua árvore genealógica! ⠀

UM EXERCÍCIO PARA CUIDARES DA TUA CRIANÇA INTERIOR

UM EXERCÍCIO PARA CUIDARES DA TUA CRIANÇA INTERIOR

Mesmo que lá atrás, na tua infância, as coisas possam não ter sido como gostarias, isso já é passado e hoje tens a capacidade de transformar e compensar a tua criança interior com o que sentes que ela merece. Como?

Procura uma foto da tua infância, se possível numa altura em que sentias que vivias um período mais complicado. Olha para ti (enquanto criança), bem nos teus olhos e procura perceber o que sentias e porquê.
Diz agora à tua criança que és adulta e estás aqui para lhe dar tudo aquilo que ela sentiu falta; para lhe dizer todas as palavras amorosas que ela merecia ouvir.

Provavelmente as faltas que a tua criança teve, são aquelas que ainda sentes hoje, seja em atos ou palavras… Pois bem, a responsabilidade de lhe dar, de te dar, agora é tua!

O que ela quis fazer e que não fez? O que queria ter e não teve? O que queria ouvir que não ouviu?

Faz isso por ti, faz isso por ela e sim, podes comprar aquele brinquedo que ela queria, podes ir ao parque infantil, é permitido sim brincares e elogiares-te!

Quando te negas estes prazeres da infância, é como se de alguma forma continuasses a perpetuar aquilo que aconteceu lá atrás.

Agora podes fazer diferente, agora podes fazer por ela… por ti!