QUANDO A ALMA PEDE AJUDA

QUANDO A ALMA PEDE AJUDA

Na semana passada tivemos conhecimento da surpreendente notícia do morte do talentoso chef de cozinha Anthony Bourdain e com certeza que para quem conhecia um pouco do seu trabalho, ou para quem já tinha tido a oportunidade de ver algum dos seus programas e provavelmente comentado o quanto a vida deste senhor seria espetacular, esta notícia fez questionar tudo aquilo que aparentemente parecia uma vida perfeita! Conhecer o mundo, interagir com outras culturas, provar as iguarias de cada local que visitava, uma carreira profissional reconhecida, namorada, filha… Mas, afinal, quando vemos alguém com uma vida supostamente tão promissora e que um dia, numa com certeza escolha difícil, lhe coloca termo, é porque provavelmente não seria bem assim. Que motivos poderiam ter levado Bourdain a tomar esta decisão, nunca saberemos, no entanto, dá que pensar… Aliás, porque não é caso único!

Dá que pensar que num mundo em que cada vez a nossa vida está mais exposta, em que sentimos que temos uma imagem a manter, em que procuramos manter o culto da boa disposição, espelhando constantemente um sorriso mesmo de coração triste, com hábitos deslumbrantes mesmo que por alguns minutos atrás de uma fotografia ou filmagem e, sem nos apercebermos, oferecemos a quem nos segue o direito a opinar sobre nós próprios, sobre a nossa vida. Mas, se a vida é cíclica e feita de altos e baixos, se há momentos melhores e menos bons, se há os dias de rir e outros de chorar e zangar, que fazemos nós com esse nosso outro lado que da mesma forma só pede para ser aceite e integrado?

E claro, se sentimos que temos uma imagem a manter, reprimimos e não nos permitimos libertar o que nos pesa, honrar o que dói… Mas a alma chama, grita e pede ajuda, porque é que não a ouvimos? Porque é que sentimos que pedir ajuda é sinal de fraqueza?

Honra cada momento da tua vida, cada parte de ti, honra e dá espaço às tuas gargalhadas mas também às tuas lágrimas. Ouve a voz da tua alma e se ela te pedir ajuda, não lha negues, esperando que tudo passe e pensando que quem pede ajuda não é forte e que tudo vai ficar bem… Não te faças isso! Todo peso fica mais leve quando repartido, tudo se pode tornar mais claro quando dasabafado, não tens de estar sozinha e perdida na tua floresta densa, permite que alguém te possa apoiar! Negarias tu ajuda a alguém de quem gostas? Então porque é que o farias contigo?

Quando a alma pede ajuda, ouve-a como ouvirias uma ferida no teu corpo. Às vezes a ferida é da alma… Procurar curá-la não é sinal de fraqueza, mas de força e doçura. É sinal de coragem, de amor próprio, é o momento de baixar a espada com que tanto se tem lutado, é admitir que se é humano, que se pode errar e também recomeçar, que nas adversidades da vida se cai para que possamos aprender a levantar!

Ouve mais a tua alma, ouve mais o teu coração e se estes necessitarem de ajuda, oferece com todo o teu amor sem qualquer hesitação.

Novo vídeo: Sobre o perdão: Eu perdoo-me, eu liberto-me.

Filipa Martinho – Consultas de desenvolvimento humano de carácter pessoal, orientação e aconselhamento via Skype. Cursos e workshops de autoconhecimento presenciais e online. Sabe mais aqui. Queres agendar uma consulta ou participar numa formação? Entra em contacto por aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s