A GUERREIRA CANSADA: FAZER, FAZER, FAZER

A GUERREIRA CANSADA: FAZER, FAZER, FAZER

SONY DSC

“Não consigo estar parada”; “Tenho de estar sempre a fazer alguma coisa”; “Se estiver muito tempo parada, sinto-me inútil“; “Sinto dificuldade em relaxar, sinto-me culpada se o faço, porque acho que devia estar a fazer alguma coisa”.

Sim, oiço isto quase diariamente em consultas, cursos e workshops.

Estás exausta porque não consegues parar e se o fazes é a mente que não pára. Estás com dúvidas, confusa, porque com tanta agitação não consegues discernir, nem decidir. Sentes-te culpada porque em determinado momento do dia, paraste por segundos. Talvez até para fazeres pequenas coisas de que gostas: dormir um pouco mais do que o habitual ou não fazer nada quando achas que devias estar a fazer alguma coisa “produtiva”!

Tornou-se uma necessidade teres de fazer qualquer coisa! Tornou-se um impulso, uma adição que não consegues parar! Renegas ouvir o silêncio, reprimes as emoções, o contacto com a tua alma, a tua voz interior, o simplesmente parar para deixar que a vida te faça! Tens-te viciado na atividade constante, como um hamster numa roda que não leva a lado nenhum. Não sabes, nem queres, parar e se o fazes culpas-te. Sentes-te improdutiva e inútil, pelo menos fazendo, mesmo que perdida, sempre passas a ser a guerreira, mesmo que ferida!

O que temes tu se parares? Estar contigo mesma, ouvires-te? Sentir quem és e perceber o que realmente desejas? Olhar para o que te envolve e perceber que afinal não está como gostarias? E se assim for, terás de olhar para tudo como é e terás de (te) transformar? Ou será essa transformação e aquilo que os outros dirão que temes? Será que procurando fazer e fazer ainda mais te vais distraindo de ti mesma, da tua essência sem que te permitas parar para ouvir o teu instinto e a tua intuição?

Se queres fazer algo da tua vida e na tua vida que te complete, o caminho é inverso, não é fazendo alguma coisa que chegarás onde anseias, é antes parares para ouvires em ti mesma por onde é a direção! Não é procurando fora e fazendo cada vez mais que encontras e te encontras, é olhando para dentro de ti… E isso só consegues parando!

Guerreira que não pára está condenada a ser escrava! Para avançar, a guerreira precisa de parar e, quando isso acontece, ela permite-se ter compaixão com ela mesma, com a caminhada que já fez e as batalhas que já travou. Dá o tempo necessário para curar as feridas, com amor e paciência, descansa para redefinir estratégia e estabelecer por onde será a próxima viagem. Nutre-se e fortalece-se, faz mas sem nada fazer. No fundo, prepara-se para o que está por vir e só quando se sente pronta, parte e recomeça novamente a sua saga, as suas batalhas. Agora mais corajosa, cuidada e amada por si própria!

Filipa Martinho – Consultas de desenvolvimento humano de carácter pessoal, orientação e aconselhamento online. Sabe mais aqui. Cursos e workshops de autoconhecimento presenciais e online. Sabe mais aqui. Queres agendar uma consulta ou participar numa formação? Entra em contacto por aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s