4 SUGESTÕES DE FINAL DE FÉRIAS

4 SUGESTÕES DE FINAL DE FÉRIAS

SONY DSCJá estamos em Setembro e isso para a maioria de nós significa final de férias e o regresso à rotina habitual, com o trabalho, as pessoas do costume, os horários. Este reecontro para alguns pode significar alegria de recomeçar, para outros a nostalgia das férias que passaram a correr e mais do que um reecontro, muitas vezes é um confronto com aquilo que preferíamos não ver. Se chegamos a este ponto, pode ser um sinal de que algo tem de mudar, e que pelo menos se não conseguimos fazer uma mudança radical, há pequenos passos que podemos dar para tornarmos a nossa rotina diferente, as nossas semanas e os nossos dias mais divertidos e inspiradores. As mudanças fazem-se passo a passo, com calma, paciência, perserverança e bastam pequenos gestos e atitudes para conseguirmos fazer algo que vá ao encontro dos nossos ideais. Neste regresso, porque não experimentarmos algo diferente que efetivamente “marque” esta mudança de estação e que  torne então as nossas semanas mais prazerosas? Deixo umas dicas que sugiro que experimentes e espero que também possas partilhar outras que possam ser agradáveis e inspiradoras para mim e para quem lê este texto.
Festa! Porque não celebrar?
Então, estamos de regresso ao trabalho, depois de umas apetitosas férias e porque não criar a tradição de celebrar a nova reentrada com amigos e família? Por exemplo, no primeiro ou segundo sábado de Setembro haverá sempre a celebração do final das férias e início da nova temporada, onde poderemos partilhar como foram os dias de descanso e planear novos momentos como este. Celebrar criará um novo estimulo, um novo impulso, saberemos que a cada ano, após as férias teremos um momento especial de partilha (sem precisarmos esperar pelo natal). As crianças vão adorar o regresso às aulas porque vão associá-lo a uma festa e nós adultos também. Bora lá agendar, estamos super a tempo.
Manter um (bom) hábito das férias
Pois, eu sei que gostaríamos que fosse dormir até mais tarde e esse hábito pode não ser possível, mas podem ser outros. Dou-vos o meu exemplo: comecei a ver uma série no netflix durante as férias e agora que regressei ao trabalho, continuo a assistir à série (só que menos episódios ). O facto é que aquele momento de descontração me faz sentir como se ainda estivesse em férias. Escolhe aquele hábito que adquiriste em férias e que podes adaptá-lo à tua rotina laboral. Pode ser ler um livro, dar um passeio, brincar com os filhos, ouvir música, tudo é possível, desde que nos faça felizes e nos descontraia!
Começar (finalmente) a atividade que tanto desejamos
Aquela atividade que temos vindo a protelar de tempo a tempo e que desejamos muito, mas vamos passando de Setembro para Janeiro e de Janeiro para Setembro novamente e de ano para ano e nunca iniciamos. Não é para irmos a correr increver-nos numa academia se não for esse o objevtivo e isso não nos der prazer, pode ser uma atividade mesmo em casa ou fora, tanto faz. Aliás porque hoje em dia a internet pemite fazer quase tudo à distância e há muitas possibilidades gratuitas, o que importa é estimular a criatividade e ser feliz: um curso de dança, pintura, inglês? Aulas de ioga, de karaté, de música? Workshops de culinária, marketing, meditação? As possibilidades são infinitas, para que cada um de nós possa escolher uma ao seu gosto! Uma nova experiência, muitas vezes há tanto tempo ansiada pode tornar a nossa semana mais divertida e estimulante. Que atividade está nos teus planos?
O “meu” tempo
Sim, este deve ser o principal, o que nos permite que realizemos os parágrafos descritos em cima, aquele que deve ser colocado na agenda religiosamente e jamais permitir que nada o ultrapasse! Não sei se já repararam, mas quando temos na agenda um momento que seria para nós e alguém marca algo connosco nesse periodo (habitualmente trabalho), nós permitimos e “mandamos ao ar” esse espaço que seria nosso. Cometemos muitas vezes esta “infração” connosco mesmos, na maioria das vezes, em prol do trabalho ou dos compromissos familiares. Nem nos apercebermos que falhamos connosco, com a nossa vida, com o nosso lazer. No fundo, com aquele momento nosso que nos traz o equilíbrio para realizarmos positivamente as outras atividades na nossa vida!
Há uns anos numa formação de gestão de tempo, o formador dizia: “Coloquem na agenda o tempo para vocês mesmos e jamais infraccionem esse tempo. Esse é o vosso momento e se alguém vos propuser algo que ocupe esse espaço, respondam simplesmente: não posso, estou ocupado, mas poderei noutro dia e ofereçam outra data, outra solução! Ninguém precisa de saber com o que é que estão ocupados, não têm de justificar, afinal é o vosso tempo”. Difícil lidar com isto? Difícil dizer “não posso”? Pois, só experimentando vamos ter o espaço e a oportunidade para celebrar e realizar atividades que temos vindo a adiar e criar hábitos mais agradáveis para nós. Porque é o nosso tempo e deve ser prioritário! O que fazemos nesse tempo, não importa, é nosso, só a nós nos diz respeito, desde que nos permita relaxar e desfrutar! Ah, só uma notinha em rodapé: o tempo para os filhos, não é o nosso tempo. Esse é o tempo para os filhos, que também é importante constar na agenda, mas o nosso tempo é simplesmente  para cuidar de nós!
Bom regresso e bom reecontro… Feliz Setembro!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s