COMO TRANSFORMAR ESTA SEMANA #2

COMO TRANSFORMAR ESTA SEMANA #2

4ff9d0_e0aa187b4b7b4d4d82509b6524fce89c-mv2Porque procuramos sempre melhorar os nossos dias e principalmente a nós mesmos, criei esta pequena rubrica para partilhar algumas ideias de como transformar a nossa semana em pequenos passos e, desta forma, transformar a nossa vida. Estes são os três passos para esta semana:

 1. Substituir a crítica

Completamente desnecessária, seja em relação a ti mesmo ou em relação aos outros. Costumo dizer que é uma forma barata de se despender a nossa preciosa energia e tempo. Em relação aos outros, lembra-te que cada um faz exatamente o melhor que sabe de acordo com a sua consciência e experiência de vida. Se não faz de outra forma, é porque não sabe e o que acontece aos outros diz respeito a eles. Em relação a ti mesmo… criticar porquê? Tu fazes sempre o melhor que sabes e se não sabias fazer de outra forma, a vida acaba sempre por ensinar. Criticar é uma forma de mau trato para nós próprios, é importante sermos pacientes e compassivos connosco. Criticar os outros e a nós próprios, coloca-nos numa espiral de má disposição onde parece que tudo corre mal e nada acontece como gostaríamos. Não deu certo? Paciência, fiz o meu melhor, para uma próxima já saberei fazer de outra forma. A proposta é trocar a crítica pelo elogio! Elogia-te, elogia os outros, deixa que isso se transforme num novo hábito na tua vida, vais sentir-te muito melhor porque é uma prova de amor para contigo mesmo. Elogiar e elogiar. Procuremos olhar para o lado bom das coisas.

Para esta semana: Adotar um discurso mais positivo, elogiar e elogiar-te a ti mesmo.

2. Salvar o mundo começando por ti

Obviamente que é importante ajudar os outros, mas não chegar ao ponto de que de tanto ajudarmos os outros nos coloquemos a nós mesmos em último plano, abdiquemos completamente da nossa energia, do nosso tempo e as coisas que tínhamos para realizar para nós mesmos fiquem na prateleira. Isto transforma-se numa falta de amor próprio e desrespeito para connosco próprios. Não podemos mudar o mundo e ainda assim se o quisermos fazer, temos de começar por nós. “Sê a mudança que queres ver no mundo” dizia Gandhi. Esta é uma forma de ajudar os outros, pois contribuímos para um mundo melhor e inspiramos outros a fazerem o mesmo.

Se queremos ajudar, primeiro vamos dar prioridade ao que nós temos de fazer para não cair na armadilha da procrastinação. Fazemos a nossa parte para nós mesmos, isso já nos vai fazer sentir melhor e, na medida da nossa capacidade, oferecemos o nosso tempo e energia para ajudar os outros. Assim podemos ajudar de forma equilibrada tanto em relação a nós como em relação os outros.

Este ponto faz-me lembrar de quando eu andava no 8º ano (sim, já lá vão alguns anos) e tinha na minha turma um daqueles colegas “barra” em todas as disciplinas. Quando íamos para os testes e quando eram daqueles bem tramados, o pessoal levantava a cabeça a chamar por esse colega para poder copiar, ele focado no teste dele, nada dizia… até terminar! Quando terminava, lá ia passando umas informações úteis a quem precisava de uma “ajudinha”… sim, também me ajudou, às vezes não conseguia lembrar-me de tudo. Creio que este exemplo retrata bem o que este ponto significa!

Para esta semana: Ajudar os outros sim, mas lembra-te de ti primeiro!

3. Comparação? Nem pensar!

Tramada a comparação! Será que sou melhor, será que o outro é melhor que eu? Isto não só é cansativo como também é desnecessário. Com certeza há coisas em que somos melhores e o outro será melhor noutros aspectos e está tudo bem! Vi esta frase esta semana e adorei: “Tente ser igual a si mesmo (único), todos os outros já existem!” e é que é mesmo. Somos mesmo únicos, com os nossos traços físicos, as nossas atitudes e comportamentos. As nossas impressões digitais são uma excelente analogia disto, tal como o nosso ADN! Ninguém é igual a nós, não somos iguais a ninguém e isso é que tem piada! Quando nos comparamos e procuramos ser iguais a outros, perdemos as nossas características únicas e a nossa exclusividade para vivermos em função do que não somos, isso rouba-nos a nossa alma. Não há melhor ou pior, cada um é como tem de ser. Vive o melhor que és, enaltece as tua características especiais e que fazem de ti o ser que és e, desta forma, vive a vida que é para ti. Agora lembrei-me do texto que escrevi dos Sapatos da Cinderela, aproveita para ler.

Para esta semana: lembra-te que és único, exclusivo, ninguém é como tu ou faz igual a ti!

Lê aqui o primeiro post desta rubrica. 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s