COMO TRANSFORMAR ESTA SEMANA

COMO TRANSFORMAR ESTA SEMANA

DSC02298xxx.jpg

Porque procuramos sempre melhorar os nossos dias e principalmente a nós mesmos, criei esta pequena rubrica para partilhar algumas ideias de como transformar a nossa semana em pequenos passos e, desta forma, transformar a nossa vida. Estes são os três passos para esta semana:

1. Deixa as dúvidas para lá

Ah… a dúvida! Escrevi um artigo sobre este tema recentemente. De facto a dúvida deixa-nos no lugar onde estamos até ganharmos bolor e nós até queremos avançar, fazer isto ou aquilo, mudar de vida em maior ou menor escala, as oportunidades até surgem, mas pronto, começamos a levantar questões e mais questões e ficamos ali num marinar constante que nos esgota e não nos leva a lado nenhum! A solução? Escolher, decidir e assumir essa decisão.

Costumo dizer que a dúvida é sinal de abundância, porque significa que podes escolher, mas efetivamente tens de decidir e confiar no processo. Um lado e outro terão sempre vantagens e desvantagens, por isso vale mais a pena arriscar do que ficar no marasmo da indecisão.

A decisão, estará sempre certa porque há sempre algo novo a experimentar e o nosso coração, a nossa alma, sabe sempre o que quer. É nosso direito ouvi-lo ou não, isso é uma decisão.

Esta semana: Decidir, finalmente!

2. Aprende a viver com o medo

É o bicho papão da nossa infância! Não te vou dizer que te libertes de medo, porque isso seria impossível e arriscado. Primeiro porque o medo é uma das nossas emoções primárias e existe para nos proteger, seja através da defesa ou do ataque, por isso sentir medo é natural. Não é natural quando permitimos que ele tome conta da nossa vida. Ou seja, não é natural quando deixamos que nos proteja demasiado a ponto de nos limitar e, como hoje em dia vivemos em constante alarme e alerta, é isso que acaba por acontecer.

Tantas vezes não fazemos e não arriscamos por medo, medo e mais medo. Muito desse medo nem existe, é completamente ilusório. Cenários criados por nós, através da nossa imaginação e vivemos em função disso: “melhor não porque pode acontecer isto ou aquilo…” e se até acontecer o contrário?

Há sempre um exercício que aconselho nas minhas consultas quando o medo decide bater à porta: fala com esse medo! Escreve num papel de que tens medo e porquê. Esse medo é real ou imaginado? O que poderia correr mal se arriscares em determinado plano? E o que pode correr bem? Agradece a esse medo por te proteger, mas que não é preciso tanto.

Aprende a viver com o medo, faz dele um companheiro e quando quiseres avançar em alguma coisa e sentires medo… avança, mesmo com medo!

Para esta semana: Avançar de mão dada com o medo!

3. Contorna a chata da procrastinação

Ai, esta bandida! Uma das piores características que limita o avançar.  Eu até consigo compreender quando adiamos fazer algo que detestamos, apesar de isso a curto prazo ter mau resultado, mas e quando adiamos fazer aquilo que gostamos? Porquê?!

Parece que é uma parte nossa que sabota esse prazer em fazer algo de que gostamos ou em obter o resultado que pretendemos. Será que é porque gostamos de fazer em stress? Será que sentimos que não merecemos fazer algo de que gostamos? Será que ao fazermos coisas de que gostamos nos vamos sentir mal com isso porque olhamos para o lado e vemos o pessoal com cara de sacrifício? Será que é porque se fizermos tudo a horas, depois ficamos sem nada para fazer e vamos ter tempo de ir relaxar e, mais uma vez, nos sentimos mal com isso porque o pessoal está ali o dia todo em penitência? Tramado, não é? Ultrapassar a procrastinação exige persistência, dedicação, disciplina e creio que merecimento também!

Tens de sentir que mereces fazer o que gostas e ter prazer com isso! Não importa a vida que os outros tenham ou o que digam. Ao mesmo tempo, também é importante sentir que quanto mais cedo fizeres algo de que não gostas, depois vais desfrutar da sensação de missão cumprida no final e celebrar isso! Descobre a razão de tanta procrastinação. Fala contigo, tenta perceber as razões, será mais fácil para resolver a questão.

Depois arranja um calendário mensal, semanal ou diário e coloca as tuas tarefas e a sua data limite. Começa a trabalhar nesse sentido, vais precisar de foco porque tudo vai ser um diabinho para que te distrais: os amigos, a família, o Facebook, um livro. Eu sei lá, parece que tudo aparece para nos dispersar, daí a persistência, a dedicação e a disciplina. Desvia de ti todos os potenciais alvos de distração e mantém a vontade!

Aconselho-te a começares com pequenas coisas, aquelas que se têm adiado por muito tempo. Quando as cumprires, arranja um caderno e regista como é essa sensação de missão cumprida!

Para esta semana: Bora avançar?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s