SEMANA DETOX #3

SEMANA DETOX #3

15935285_10202359976118988_1770169173_oComo as peças de um relógio que funcionam como um todo, de forma simultânea e sincronizada, assim somos nós também. E tal como um relógio basta que alguma das peças esteja danificada ou simplesmente parada que vai parar todo o sistema. O que quero dizer é que durante esta semana e porque começamos um novo ano, aproveitei para falar de desintoxicar… o corpo, a mente, o espírito! E de facto estes nossos três sistemas completam-nos e basta que um não esteja em correto funcionamento para que os outros também estejam naturalmente debilitados.

Falta-nos então a espiritualidade. Muitos associam esta parte à religião mas, efetivamente, para mim, é muito mais do que isso e pode estar ou não associada à religião. Como portuguesa que sou, tive naturalmente educação cristã, mas a minha curiosidade levou-me a procurar conhecer um pouco mais das crenças e filosofias de outras religiões e principalmente saber mais sobre a espiritualidade. Nas que explorei, percebi que em todas elas há aspetos que me fazem sentido, outros nem tanto. E pode chamar-se Deus, Deusa, Universo, Energia, Divino… a conclusão a que cheguei, é que tudo isso está em mim e em ti e não é nada superior a nós. É algo em nós, que faz parte, algo tão natural como o corpo ou a mente mas, porque às vezes a forma como nos foi transmitida não nos fez sentido, achamos que isso é uma área da vida à parte para quem quiser explorar. Então, quantas vezes cuidamos do corpo, da mente e parece que nos falta algo… É isso, o conectar-nos com a nossa espiritualidade. No fundo, é conectarmo-nos connosco mesmo, com a nossa força interior, com a nossa fé (que não mais é do que aquele acreditar profundo que não sabemos explicar, mas acreditamos que simplesmente acreditamos, confiamos).

Ter contacto com essa minha força interior foi sem dúvida dos maiores desafios que tive. Primeiro porque como aprendi na catequese isso era algo que estava fora de mim e que tinha de pedir, depois vem esse contacto com o teu “interior”, com a tua essência. E afinal o que será isso do “interior”? Quando pensas no teu interior, lembras-te do teu estômago, na costela, no esófago, no coração… Ah! O coração, sem dúvida, aquele gps que sabe sempre para onde ir…

Outra resistência à conexão com essa minha essência, era a questão de estar “frente a frente” comigo mesma. Uma coisa é estar com os outros. Falas e ouves, até é fácil. Mas estar comigo? O que teria para dizer a mim própria? Aí percebi o porquê de estar sempre à procura de algo com o que me distrair. Pessoas, coisas, ocupações, telemóveis, televisões. Sim, porque dá esse medinho da descoberta de mim própria, mas a conclusão a que cheguei é que o maior medo não era das coisas negativas, mas sim, de descobrir toda a minha força, o meu poder interior. Porque sim, o verdadeiro poder está aí e está connosco, por vezes disfarçado ou apagado, mas vale a pena reacende-lo, pois só assim se vive em pleno. Aí sim, Corpo-Mente-Espírito.

Estar em contacto contigo pode ser mais fácil do que parece, cada um encontrará a sua forma, mas deixo-te aqui algumas práticas que te podem apoiar caso necessites, mas convido sempre a explorar.

Meditação

Se é para iniciar, 1h é a loucura. Já experimentei, correu mal. Pensei logo: isto não é para mim. Por isso arranja um lugar cómodo para te sentares, começa com 5 minutos e coloca um despertador para não ficares a pensar se o tempo já passou. Durante esses minutos, observa só a tua respiração. Não te vou dizer para não pensares em nada, é impossível. Nesse momento, vem tudo à mente e começas a sentir desconforto na cadeira, uma coceira na sobrancelha e ouves um carro a passar, enfim. Não adianta lutar com isso, foca-te novamente na respiração.

Das primeiras vezes vai parecer que o tempo passou e não conseguiste abstrair-te do resto, insiste dia após dia e podes fazer apenas 5 minutos até ao momento em que sintas que de facto o resto passou a ser secundário e já é mais fácil para ti. Só a partir daí é que deves aumentar para os 10 minutos e assim sucessivamente, um dia chegas facilmente a 1h e com aquele vazio mental completamente reparador. Não te preocupes com a meta, tudo é um processo. Incenso, vela, música? Se quiseres. Não há como experimentar.

Meditação guiada

Há vários locais onde se pratica, mas podes fazê-lo facilmente em casa, o youtube é uma coisa maravilhosa! Existem várias, para o acordar, para o deitar ou quando sentires que precisas de paz interior. Umas que muito aconselho às minhas clientes são as meditações da Louise Hay, eu mesma as utilizo muitas vezes. Tão simples e tão reparadoras e ao ouvires e seres guiado pode ser que seja mais fácil para ti.

Meditação ativa

Às vezes sentimos que estamos com excesso de energia cá dentro, quantas vezes sinto que estou um pouco mais stressada, irritada ou triste com alguma coisa e no imediato não consigo sentar-me para meditar. Então, antes disso, exercício físico, por exemplo, ajuda a libertar esse excesso de energia. Há atividades físicas que promovem essa conexão como o Tai Chi ou o Yoga de que sou muito fã… é um dois em um. Dançar também é reparador.

Outras meditações que considero ativas é pintar (pintar mandalas está na moda e não é por acaso), fazer legos, colagens ou costura. Além de divertidas são prazerosas porque nos recordam a nossa infância. Além disso, vocês já repararam na sabedoria das nossas avós, muitas delas não viajaram, estudaram ou conheceram metade daquilo que nós já experimentamos, mas têm uma sabedora incrível… Sem saberem elas praticavam estas meditações ativas, costurando, fazendo camisolas de malha, cozinhando ou jardinando. É, dá que pensar!

Contemplar

O mar, a floresta, uma lagoa, uma vela, um quadro, uma imagem, algo de que gostes… Se reparares, quando contemplamos, abstraímos-nos completamente do resto e apenas estamos! Fazer o que te dá prazer. Sabes aquele prazer de arrepiar? Quando fazes algo de que gostas, que te faz sentido, que tem a ver contigo, seja quando trabalhas ou em lazer, seja desfrutar de uma música ou degustar algo saboroso ou sentir aquele aroma especial? Não há como agradar aos cinco sentidos, todo o resto desaparece e se conseguirmos agradar a pelo menos dois sentidos por dia, com consciência de que os estamos a fazer, a nossa alma vibra de alegria!

Espero que tenham gostado desta primeira semana de 2017 e que o resto do ano seja brilhante. Este é o ano de manifestar os sonhos, por isso vai em frente com tudo o que és, eu farei o mesmo e estarei por aqui para te trazer mais e mais dicas.

Obrigada por estares.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s